Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pezinhos de lã

Pezinhos de lã

Fevereiro 28, 2022

Colette

Não vou escrever sobre a guerra na Ucrânia, pois não me sinto capaz.

Falhou-me a voz, as mãos tremem-me e o coração passou a bater descompassado, ao som dos passos que se aproximam de uma qualquer fronteira, porto de abrigo, refúgio, garante de segurança...

Assisto, incrédula, a uma guerra que não era suposto acontecer, agora...  na Europa.

Sofro por ver como, de um dia para o outro, a vida dá uma volta e nos deixa, literalmente, sem chão, sem o nosso chão mãe, chão pai, chão sagrado...

Não imagino, sequer, o que será deixar tudo para trás e fugir com muito pouco, o mínimo, que nem chega a ser o essencial.

De quantas mochilas precisamos para guardar toda uma vida?

Há quem diga que tudo estava previsto e que, na verdade, vivíamos numa ilusão, numa paz podre.

Detesto esta expressão.

Podre serão os corpos dos soldados que, de um lado e do outro, tombam cravejados de balas... (Alguns, miúdos ainda. Crianças...)

Antes uma paz pobre do que a podridão de uma guerra.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub